Quais Os Benefícios Da Drenagem Linfática

October 30, 2012 by admin Leave a reply »

3.dlm_r5_c9_s1

Os benefícios da drenagem linfática são muitos. Ela ajuda numa melhor circulação sanguínea, faz a pessoa se sentir mais leve por causa da eliminação de toxinas, a pessoa perde aquela sensação de inchaço causada pela retenção de líquidos. Não somente melhora o funcionamento o sistema circulatório como o sistema linfático. Pode ajudar no aumento do metabolismo e consequentemente na queima de gordura e na diminuição dos sintomas da Tensão Pré Menstrual (TPM).

A drenagem linfática manual tem muitas indicações terapêuticas, é uma técnica importante para o tratamento de linfedemas primários e secundários, assim como medida complementar e auxiliar. A drenagem linfática é indicada para hematomas, síndrome cervical ou chicotada, distensões, tratamento de pós-luxações articulares, tratamento do joelho pós-lesões de ligamentos e meniscos, ruptura de fibras musculares, tratamento de pós-fraturas, distrofia de Sudeck.

A drenagem linfática é indicada para edemas linfostáticos locais por intervenções cirúrgicas: linfedemas ou edemas linfostáticos secundários de braço, linfedemas ou edemas linfostáticos secundários de pernas, depois de operações ortopédicas, depois de cirurgia maxilofacial, tratamento de cicatrizes, tratamento depois de endoprótese de quadril, histerectomia, cesárea, cirurgia plástica, pós-cirurgia vascular e cirurgias diversas. Também é indicada para transtornos osteomoleculares e do tecido conjuntivo: reumatismo poliarticular agudo, poliartrite crônica progressiva, espondilite anquilopoiética, artropatias, reumatismo das partes moles, osteoporoses, lombalgias, ciatalgias, torcicolo espasmódica, transtornos comuns do pé.

Também é indicada para edemas locais dos sistema nervoso central e periférico: cefalalgias, transtornos auditivos, síndrome de meniére, nevralgia do trigêmeo, paralisia facial. Para transtornos neurológicos: manifestações neurológicas comuns, braquialgia noturna, doenças desmineralizantes, apoplexia, paralisia geral infantil, síndrome de down. Para transtornos neurovegetativos: stress, insônia, distonia neurovegetativa. Para transtornos vasculares periféricos: linfedema ou edema linfostático primário, lipedema, edema venoso postural, claudicação intermitente, varizes, flebedema, síndrome pós-trombótica, edema pré-menstrual, edema venoso na gravidez. Para patologias crônicas das vias respiratórias superiores e auditivas: sinusite, amidalite, catarro tubárico, otite crônica, otite serosa, resfriados crônicos e alérgico. Para transtornos pulmonares: asma bronquial, bronquite crônica, bronquite enfisematosa e asmática. Para transtornos dermatológicos: acne, acne rosácea, couperose, dermatite perioral, queda do cabelo, eczemas crônicos e alérgico, escara por decúbito, úlceras vasculares, queimaduras e quelóides.

Durante a gravidez a drenagem linfática costuma ser muito indicada, porque é uma fase na vida da mulher em que a retenção de líquidos é marcante. Isso ocorre porque para a geração do bebê, o corpo da mãe necessita aumentar o volume de sangue em quase cinquenta pontos percentuais, o que faz os líquidos dos capilares transbordarem e causarem inchaço. Se houver um grande trasbordo para o corpo, o organismo não consegue fazer a coleta e eliminar pela urina todo esse líquido disperso. Assim, há um acúmulo de componentes sujos que ficam perdidos e causam a intoxicação, que percebida pelo organismo acaba por gerar excessivas respostas nervosas, o que faz a mulher ficar irritada e nervosa.

A drenagem linfática feita durante a gravidez necessita de alguns cuidados e adaptações fundamentais para o benefício da gestante, por isso somente pode ser feita por um profissional especializado em grávidas. É necessária uma prescrição médica para começar o tratamento, o que não é preciso em outras circunstâncias.

Advertisement

Leave a Reply